terça-feira, 23 de abril de 2013

Minha Carne


Minha carne é mais negra,
a mais em conta do mercado.
Carne que só pobres comem
Quando ela sobra do gado.

A minha carne é de gato
temperada pra churrasco,
espetinho feito de com amor
das mãos de um carrasco.

A minha carne é herança
de meus grandes Mouros,
carne dura no prato pobre
no qual se dispõe aos Louros.

Minha carne é mais negra,
Negra feita à cor da noite!
Feita à cor do dia; O Nego,
Já que espera o seu açoite:
No pega-pega já está pego.


2 comentários:

  1. "Todos poetas são estrelas, mesmo apagadas brilham" Adorei a poesia "minha Carne", linda, adoro poesias voltado a negros, me dá mais força pra continuar.Tenha um ótimo dia, noite,tarde ,manhã...inté!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A gente faz o que pode. Um beijo e um queijo!

      Excluir