domingo, 28 de junho de 2015

Sempre que possível


meus poucos amigos...
tão claros tão raros, meus caros!
tão caros em me servir as mãos
sempre que possível
deixam outras coisas mais
deixam outra coisa amais
que o impossível

:imagens en color en close
visões para o céu para o mar
recordações de fogo e de gelo
infinitos particulares para amar
desamar e para ser só ser perdão

ar sobre o ar que me faz pensar...

:os meus poucos amigos
sempre que possível ficam mais claros raros e tão caros
quando possivelmente pousam suas mãos
na minha mão.




Um comentário:

  1. Amo esta canção. Até me atrevi gravar uma capela e enviar à Globo. Naquela época o nome do programa se chamava FAMA...Rsrs...
    Hoje estou conhecendo o seu blog através da minha amiga Vitória...Um grande abraço Ivan Ribeiro!

    ResponderExcluir